TECNET 2017 - Balanço da 3ªEdição

Um 'mundo' de tecnologia e inovação juntou cerca de 1.500 participantes e mais de 150 expositores na Torre da Oliva, em São João da Madeira. 

A 3ª edição do TECNET 2017 decorreu entre os dias 1 e 3 de Junho com casa cheia, tendo este ano como novidade a integração do Encontro Ibérico dos Parques Tecnológicos e Científicos, que vieram acelerar o networking e partilha de novos conhecimentos entre os mercados português e espanhol. 

Organizado pela Sanjotec e Câmara Municipal de S. João da Madeira, com a colaboração da TecParques, PortusPark e da APTE, o TECNET voltou a apresentar-se como uma 'feira-montra de inovação e tecnologias', mantendo-se sempre elevado o nível de expetativas nas diversas iniciativas e temáticas geradas entre os participantes, projetos inovadores, empresas a começar, mas também alguns nomes de peso da indústria. 

Os três dias do evento superaram os indicadores previstos com 1.431 participantes que, de forma entusiasta, se dispuseram a ouvir os 102 oradores dos mais diversos setores de atividade de relevância para o meio empresarial e empreendedorismo, como o caso mais atual da Indústria 4.0 e Smart Cities, passando pelo capital de risco, o investimento no turismo, setor automóvel, agro-alimentar, têxtil e calçado, entre outros, a somar à presença de todos os parques de ciência e tecnologia de Portugal e também muitos de Espanha, assim como reitores de universidades de ambos os países. 

No desfecho, fica assim uma vontade ainda maior de se elevar a fasquia para a próxima edição, mantendo sempre a identidade do TECNET, como um evento claramente direcionado para empreendedores na área da inovação e das novas tecnologias. 

"Ambicionamos contar no próximo TECNET com espaços congéneres de outros países da Europa. É mais um desafio de crescimento que temos pela frente, depois da importante presença de Espanha nesta edição, que permitiu a internacionalização do evento", refere Alexandre Rios, diretor executivo da Sanjotec. 

"Empreendedores têm também de pensar como um dia vão sair do negócio" 

"Através da Sanjotec e em articulação com a TecParques, presidida por Maria do Céu Albuquerque, e com o envolvimento da Associação de Parques de Ciência e Tecnologia de Espanha, presidida por Felipe Romera, conseguiu-se fazer com que este evento tivesse uma dimensão ibérica, o que faz todo o sentido, porque assim conseguimos realmente uma massa crítica que é importante no plano europeu", diz. 

Recordando ainda que se no 1º TECNET o pano de fundo era o financiamento e no 2.º os planos de negócio, nesta terceira edição esteve em especial destaque a partilha de conhecimento, a disseminação do conhecimento em rede. "Mas houve um outro tema transversal a muitas das apresentações efetuadas e questões colocadas pelos participantes. E esse tema é o 'exit'. Isto é: como é que os empreendedores que criam startups vão sair mais à frente, quando pretenderam lançar outro projeto", nota Alexandre Rios, diretor executivo da Sanjotec. 

Para além de se preocuparem com o mercado, de terem de fazer planos de negócio, de criarem uma equipa para concretizarem o seu projeto, e muitos outros aspetos, "os empreendedores têm também de pensar como um dia vão sair do negócio. Quem vai estar lá à sua espera, quem é que lhes poderá adquirir a empresa para que possam começar um novo negócio". 

"Isto parece-me extremamente importante no desenho da empresa, na forma como o empreendedor vai para o projeto, perspetivando já que haverá um momento em que poderá sair desse mesmo negócio para voltar a semear outro. É que, para fazer uma nova sementeira, é preciso fazer a colheita anterior, é preciso preparar o campo para voltar a semear". 

Outro ponto que importa realçar no 3.º Tecnet é a excelente resposta que tivemos da parte das empresas da incubadora da Oliva Creative Factory, que fazem parte do universo Sanjotec. "Desafiamo-las a participarem ativamente na organização desta edição do evento e o resultado foi brilhante: com o mesmo investimento tivemos ainda mais retorno", diz. 

Mas nada disto teria sido possível sem os próprios tecnautas. Foram os mais de mil participantes nesta edição que fizeram o TECNET e são os grandes responsáveis pelo sucesso do evento. "E assim será também na próxima edição, em 2019. Aqui os esperamos de novo daqui a dois anos, para nos ajudarem de novo e a construir futuro", conclui.