Fibrenamics da U. Minho com projeto internacional na Contextile 2016

De 30 de julho a 16 de outubro, Guimarães volta a acolher a terceira edição da Contextile – Bienal de Arte Têxtil Contemporânea.

São várias as peças expostas nos diversos pontos da cidade e vários os espaços culturais envolvidos neste evento: desde o Palácio Vila Flor, passando pela Sociedade Martins Sarmento, pelo Instituto de Design, até ao CAAA (Centro de Estudos de Arte e Arquitetura).

O projeto Textile Tower vai ser também um dos pontos fortes desta Bienal e estará em exibição em pleno Largo do Toural. Após ter sido exposta pela primeira vez no ano passado no Museu de Design da Dinamarca, esta torre desenvolvida em malha volta agora a estar nas “luzes da ribalta”.

Mantendo o mesmo conceito, alterando apenas parte do seu design, este é um desenvolvimento que resultou de uma pesquisa interdisciplinar que envolveu a colaboração entre o Centro para a Informação Tecnologia e Arquitetura (CITA), na Dinamarca, a Plataforma Internacional Fibrenamics da Universidade do Minho e a empresa têxtil AFF – A. Ferreira & Filhos, SA, em Caldas de Vizela.

A missão da Contextile consiste em “colocar o têxtil no contexto da arte contemporânea” e, por esse motivo, este projeto ganha aqui especial relevância, na medida em que articula o têxtil com a arquitetura e a arte. Mais informações acerca do projeto aqui.

Esta é mais uma participação da Fibrenamics num evento de dimensão internacional, que permite dar provas da multiplicidade e diversidade da aplicação do extraordinário mundo das fibras, ao mesmo tempo que o aproxima da sociedade.